Fluir Terapias Integradas

LOGO FLUIR TERAPAIS INTEGRADAS

Lição de Casa: como ajudar?

Lição de Casa: como ajudar?

Quando os pais acompanham a lição de casa dos filhos, uma das coisas mais importantes é lembrar que são pais e mães e não professores. A relação que acontece ali é uma relação de mãe/pai e filho e não de professor e aluno. Portanto, o que podem fazer é estar ao lado para eventuais dúvidas que a criança tenha. Podem e devem valorizar o momento de estudo, preparar, juntamente com a criança, um espaço e materiais adequados para realizar as tarefas e valorizar as conquistas alcançadas por eles. Corrigir, ensinar o conteúdo e verificar o aprendizado é função do professor, na escola.

Em geral, a lição de casa tem como objetivos reforçar e treinar conteúdos trabalhados em sala de aula anteriormente ou iniciar um assunto que ainda será trabalhado. Sozinho, cada aluno pode se deparar com o conteúdo sem intervenções externas e perceber o seu processo de aprendizagem. A própria criança vai entendendo quais são os pontos em que precisa tirar dúvidas ou se dedicar mais, aprendendo assim a administrar seu próprio aprendizado.

O professor espera que o aluno execute a lição de casa com independência e, assim, possa mostrar o que realmente aprendeu ou sabe sobre um conteúdo. Se um adulto faz a lição pela criança ou a corrige o tempo todo, o professor não poderá reavaliar o aluno e conduzir seu planejamento de forma adequada a ajudar o desenvolvimento real da criança.

A lição de casa também serve para desenvolver nas crianças a responsabilidade e a organização. Administrar o tempo, planejar ações e tomar decisões de forma autônoma são alguns dos aprendizados que são desenvolvidos paralelamente aos conteúdos escolares de uma atividade, por exemplo. Vale lembrar que, se são aprendizados, eles não acontecem espontaneamente; levam tempo para ser internalizados e precisam dos adultos como referência.

Para ajudar seu filho comece chamando-o para organizar o espaço de estudo, com uma mesa e cadeira (atenção à ergonomia), boa iluminação e ventilação e materiais escolares (lápis, borracha, papéis, canetas, apontador, régua, lápis de cor, tesoura, cola). Fazer isso com ele é um ótimo estímulo! Evite deixar objetos que distraiam a criança próximo a esse espaço (tv, vídeo game, brinquedos, jogos, celulares, etc…).

Estabeleça um horário para a realização das tarefas diariamente. É importante, mesmo em dias sem lição de casa, manter a rotina de estudos com uma leitura, um jogo de tabuleiro, desenhos ou alguma atividade artística para que a criança entenda que aquele é um momento de estudo e crescimento individual.

Converse com seus filhos e diga que você estará por perto caso eles precisem de algo, mas que é importante que tentem fazer as tarefas sozinhos.

Não relacione a realização das tarefas com recompensas ou castigos. É importante a criança perceber que fazer a lição será bom para o crescimento dela e não fazer em troca de algo.

Para ajudar, quando perceber que há dificuldades, sugira como buscar as informações de que precisa, responda as dúvidas pontuais ou oriente a anotá-las para esclarecer em sala com o professor.

Valorize cada conquista, compartilhe como era quando você fazia suas lições e mostre que confia nele e em suas capacidades.

Sandra Lobo é psicopedagodga da Clínica Fluir Terapias Integradas

COMPARTILHE:

O que é uma sessão de devolutiva?

Ao final do processo de avaliação que se inicia com a entrevista com os responsáveis e continua com a avaliação da criança propriamente dita, temos a sessão de devolutiva da avaliação. Consideramos esta uma das sessões mais importantes.
Nesta sessão apresentamos o relatório da avaliação. Lemos o resumo dos dados obtidos na anamnese, confirmamos algumas informações e acrescentamos outras perguntas que possam ter surgido após o contato direto com a criança. Mostramos os resultados da avaliação, verificamos se está de acordo com a percepção da família e esclarecemos as dúvidas. Damos o diagnóstico fonoaudiológico e falamos sobre a conduta indicada naquele momento. Por fim, orientamos a família sobre como proceder em casa em relação às dificuldades apresentadas pela criança e como podem criar uma rotina e um ambiente comunicativo mais favorável ao seu desenvolvimento.