Fluir Terapias Integradas

LOGO FLUIR TERAPAIS INTEGRADAS

Você tem um aluno que gagueja?

Você tem um aluno que gagueja?

Você tem um aluno que gagueja e não sabe como ajudá-lo?

Inicialmente, converse com os pais ou responsáveis pelo aluno e pergunte se ele já faz fonoterapia. Peça o contato do profissional que o acompanha e converse com ele para receber mais informações e orientações sobre gagueira.

Caso ele não esteja em fonoterapia, sugira que procurem avaliação com um especialista. Quanto mais próximo do surgimento da gagueira se inicia a intervenção, melhores são as chances de remissão ou melhora do quadro.

Converse com seu aluno e entenda como ele lida com a gagueira. Diga que percebe que falar é difícil para ele em alguns momentos, mas que está tudo bem. Verifique se ele se sente confortável em falar ou ler em voz alta na sala de aula. Incentive seu aluno a participar das aulas sempre que quiser e garanta a ele um ambiente de escuta respeitosa. Combine um sinal que ele possa usar sempre que quiser falar.

Quando ele estiver falando, não o apresse para terminar, não o interrompa, nem complete sua fala. O aluno que gagueja sabe exatamente o que quer falar, só precisa de um tempo maior para isso. Valorize sempre a sua participação, diga o quanto suas contribuições foram importantes e que ele pode falar mesmo que gaguejando.

Aproveite para conversar com a turma sobre as diferenças entre eles e sobre as facilidades e dificuldades que todos têm em uma ou outra área.  Aborde a questão do respeito e diga que não serão admitidas risadas ou comentários ridicularizando as diferenças ou dificuldades.

Explique o que é gagueira e como podem, juntos, criar um ambiente seguro para o aluno que gagueja. Dependendo da idade, seu aluno pode ajudar a preparar esta conversa com a turma.

Acolhimento e palavras de apoio são muito importantes!

Camila Di Ninno é fonoaudióloga da Clínica Fluir Terapias Integradas

COMPARTILHE:

O que é uma sessão de devolutiva?

Ao final do processo de avaliação que se inicia com a entrevista com os responsáveis e continua com a avaliação da criança propriamente dita, temos a sessão de devolutiva da avaliação. Consideramos esta uma das sessões mais importantes.
Nesta sessão apresentamos o relatório da avaliação. Lemos o resumo dos dados obtidos na anamnese, confirmamos algumas informações e acrescentamos outras perguntas que possam ter surgido após o contato direto com a criança. Mostramos os resultados da avaliação, verificamos se está de acordo com a percepção da família e esclarecemos as dúvidas. Damos o diagnóstico fonoaudiológico e falamos sobre a conduta indicada naquele momento. Por fim, orientamos a família sobre como proceder em casa em relação às dificuldades apresentadas pela criança e como podem criar uma rotina e um ambiente comunicativo mais favorável ao seu desenvolvimento.